Paulo José Miranda

Escritor | Portugal

Paulo José Miranda nasceu em 1965, na aldeia de Paio Pires. Licenciou-se em Filosofia pela Universidade de Letras de Lisboa. Publica o seu primeiro livro de poesia em 1997, A Voz Que Nos Trai, pela Cotovia, com o qual vence o Primeiro Prémio Teixeira de Pascoaes.

Em 1998 publica quatro livros: A Arma do Rosto, poesia; O Corpo de Helena, teatro; e os dois primeiros livros de ficção, da sua trilogia do século xix, Um Prego no Coração e Natureza Morta.

Em 1999 recebe o Primeiro Prémio José Saramago pelo livro >Natureza Morta.

Em 2001 publica o último volume da sua trilogia, Vício, sempre pela Cotovia.

Em 2002 publica mais dois livros na Cotovia: o livro de poesia Tabaco de Deus, e o de ficção O Mal, o livro em torno de Camilo Pessanha.

Volta a Lisboa no Outono de 2004. Escreve o seu romance Com O Corpo Todo, publicado pela Ulisseia em 2011.

Em Lisboa, escreve América, editado pela Quetzal em 2008. Começa a escrever as “Cartas de Amor”. Em 2014, a Abysmo publica-as com o título de Todas as Cartas de Amor. Em Julho de 2005 parte para o Rio de Janeiro.

Escreve A Doença da Felicidade, só agora editado, também pela Abysmo.

Seis meses depois ruma a São Paulo. Escreve A Máquina do Mundo (Abysmo, 2014).

Em 2008 passa a viver em Florianópolis. Escreve o romance Filhas, publicado pela Oficina do Livro em 2012.

Em 2011 muda-se para a Fazenda Rio Grande, zona rural de Curitiba. Escreve o livro de poesia Exercícios de Humano, editado em 2014, pela Abysmo.