João Luís Barreto Guimarães

Escritor | Portugal

Uma poesia cirúrgica, construída e reconstruída com a precisão do bisturi. Esta pode ser uma definição possível para a arte poética de João Luís Barreto Guimarães, especialista em Cirurgia Plástica, Reconstrutiva e Estética no Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho. Com várias coletâneas de poesia publicadas, o autor nasceu em 1967 e estreou-se com o auspicioso Há Violinos na Tribo, em 1989, dando continuidade à carreira literária com Rua Trinta e Um de fevereiro (1991), Este Lado para Cima (1994) e Lugares Comuns (2000). 3 (poesia 1987-1994), o seu quarto livro, reúne as três primeiras obras. Em 2003, Rés do Chão confirmou João Luís Barreto Guimarães como um dos novos poetas portugueses que mais se elevam.

Luz Última (2006), A Parte pelo Todo (2009) e Poesia Reunida (Lisboa, Quetzal, 2011), este último título a compilação de 22 anos de poesia, completam o trajeto literário do autor. O título da última obra de João Luís Barreto Guimarães pode ser lido pelo autor como se procurasse orientação no mapa da grande poesia: Você está aqui (Lisboa, Quetzal, 2013).